top of page
  • Foto do escritorLuciane Brum

COP28: Rumo a um Futuro Sustentável - Uma Análise Detalhada da Visão do Brasil.

Na próxima 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP28), o Brasil, sob a liderança do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, está se preparando para desempenhar um papel transformador. André Corrêa do Lago, Secretário de Clima, Energia e Meio Ambiente do Ministério das Relações Exteriores, discute o compromisso do Brasil em combater o aquecimento global e delineia as iniciativas estratégicas do país em uma entrevista exclusiva à Agência Pública.



Papel Pivotal do Brasil e a Missão 1,5°C

Com a conferência marcada para ocorrer em Belém em 2025, o Brasil busca uma posição de liderança convocando nações em torno do objetivo crucial de limitar o aumento médio da temperatura do planeta a 1,5°C acima dos níveis pré-Revolução Industrial. Isso está alinhado com os objetivos do Acordo de Paris, mas análises recentes sugerem uma trajetória em direção a um aquecimento global de 2,5°C a 2,9°C, provocando consequências devastadoras para a saúde humana, as economias e os ecossistemas.


Decisão-chave da COP28: O Global Stocktake

Agendada de 30 de novembro a 12 de dezembro em Dubai, a decisão crucial da COP28 gira em torno do Global Stocktake - uma avaliação abrangente do progresso coletivo na implementação dos objetivos do Acordo de Paris. O Brasil enfatiza a necessidade de integrar as descobertas científicas mais recentes nessa avaliação, afirmando que uma avaliação aprofundada deve considerar o estado atual da ação climática.


Financiamento da Ação Climática: Foco Diplomático Central do Brasil

O Embaixador André Corrêa do Lago destaca a centralidade dos recursos financeiros para desbloquear metas climáticas ambiciosas. O Brasil pretende desempenhar um papel crucial durante sua presidência no G20 (dezembro de 2023 a novembro de 2024), enfatizando que compromissos financeiros são fundamentais para que os países em desenvolvimento acelerem os esforços. O G20, representando 80% do PIB e emissões mundiais, oferece uma plataforma para avançar no consenso sobre iniciativas críticas.


Debate sobre Combustíveis Fósseis e Equilíbrio do Brasil

A discussão em torno dos combustíveis fósseis, especialmente as estratégias de eliminação e redução gradual, emerge como um ponto delicado de negociação. O Embaixador Corrêa do Lago reconhece o novo status do Brasil como importante produtor de petróleo e destaca a necessidade de uma abordagem equilibrada. O Brasil pretende integrar seus interesses econômicos com estratégias de combate às mudanças climáticas, garantindo uma posição equilibrada alinhada aos esforços globais.


COP28: Prelúdio para a COP30 em Belém

A postura proativa do Brasil envolve propor um mecanismo global de conservação florestal, enfatizando uma abordagem de baixo para cima, reconhecendo florestas como mais do que apenas reservatórios de carbono. À medida que a COP28 molda a narrativa, o Brasil se posiciona como facilitador de negociações desafiadoras, enfatizando soluções em vez de meras críticas. A nação visa abrir caminho para uma COP30 bem-sucedida em Belém, concentrando-se em Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs) ambiciosas e sustentáveis para conter as emissões.


Navegando Desafios para um Futuro Sustentável

À medida que o Brasil traça seu curso para a COP28, a nação vislumbra uma abordagem colaborativa e cientificamente informada para enfrentar a emergência climática. Ao enfatizar o apoio financeiro, iniciativas globais transparentes e uma posição matizada sobre combustíveis fósseis, o Brasil visa catalisar um esforço coletivo para mitigar os impactos das mudanças climáticas. A jornada da COP28 não é apenas um empreendimento diplomático para o Brasil; é um movimento estratégico em direção a um futuro sustentável e resiliente para o planeta.


Gostou deste artigo? Compartilhe sua opinião conosco nos comentários abaixo e junte-se à conversa!











0 comentário

Comments


bottom of page